terça-feira, 8 de abril de 2008

Soares em Macau (1)

Mário Soares é considerado por muitos como o Pai da Democracia. Antigo Ministro, Primeiro-Ministro e Presidente da República, Soares acumulou património de grande valor ao longo dos anos. A muito se deve à sua empresa Emaudio. Contudo, alguns dos negócios dessa empresa são bastante suspeitos, envolvendo até um caso de suborno que provocou a demissão do Governador de Macau, Carlos Melancia…

Após ganhar as eleições presidenciais de 1986, Soares seleccionou um grupo de amigos para formar a Emaudio com o dinheiro que restara da sua campanha. Não querendo manchar o seu nome, Soares nomeou Rui Mateus como testa-de-ferro, e encetou contactos com empresários internacionais. Convidando-os para reunirem com o Chefe de Estado, mas embora fossem os portugueses a pagar a estadia em Portugal, eles eram convidados apenas a investir na Emaudio. Com estes contactos, Soares pretendia investir na Comunicação Social, mas Berlusconi rejeitou a proposta, e Ropert Murdoch foi ultrapassado na corrida pelo seu rival Robert Maxwell. Como “caução”, Maxwell pagaria 6 000 contos (30 000 euros) mensais. É então nomeado Carlos Melancia, um homem da Emaudio, como Governador de Macau, que tratou logo de adjudicar a estação pública de televisão para Maxwell, que entretanto recua. Entretanto, uma empresa alemã exige a devolução dos 50 000 contos (250 000 euros) que tinha “contribuído” pois não tinha recebido contrapartidas para a construção do Aeroporto de Macau. Rui Mateus envia o fax a Melancia que não dá resposta. Almeida Santos comunica a situação a Soares que também não dá resposta. Furioso por ter a “batata quente” na mão, Mateus envia o fax para o jornal O Independente, desencadeando o escândalo…

Em visita de Estado a Marrocos, Soares envia Almeida Santos a Portugal para controlar o fogo. Narciso Cunha Rodrigues, Procurador-Geral da República, deixou Soares fora da investigação e levou à condenação apenas de Rui Mateus, como corruptor, e absolvendo Carlos Melancia, não sendo provado que este tinha aceite o pagamento. Contudo, o pagamento não chegou a Melancia, mas sim a Soares…

Se isto fosse verdade…